História

Somos uma empresa de pastelaria artesanal que se centra na doçaria tradicional e típica da Ilha Graciosa. Produzimos, comercializamos e promovemos os doces e biscoitos tradicionais, sendo as Queijadas da Graciosa® o nosso ex-líbris. Os nossos produtos são fabricados de forma artesanal, garantindo a sua elevada qualidade.

As Queijadas da Graciosa®, do fabricante Maria de Jesus dos Santos Bettencourt Félix, são um produto alimentar regional, de fabrico caseiro/artesanal e considerado o doce típico e a imagem de marca da Ilha Graciosa.

Com raízes na mais genuína tradição, são confecionadas com produtos naturais (100% leite açoriano, 100% manteiga açoriana, 100% ovo açoriano e 100% açúcar açoriano) e de acordo com as normas da doçaria tradicional desta ilha açoriana.

No passado, era uma especialidade dominada por muitas donas de casa da Ilha Graciosa e não faltava em qualquer festa ou reunião familiar. Dava-se então o nome de "Covilhete de leite".

Atualmente, a confeção deste doce regional restringe-se à Vila da Praia, daí este ser conhecido localmente por "Queijadas da Praia". Fora da ilha, assumem a designação de Queijadas da Graciosa®.

No ano de 2003, o Instituto Nacional de Propriedade Industrial atribuiu a Maria de Jesus dos Santos Bettencourt Félix o registo da marca Queijadas da Graciosa®.

O Centro Regional de Apoio ao Artesanato dos Açores certificou a produção como "Unidade Produtiva Artesanal Reconhecida", tendo reconhecido as Queijadas da Graciosa® como "Produto de Origem e Qualidade Certificada".

Em março de 2015, as Queijadas da Graciosa® receberam o Selo da Marca "AÇORES - Certificado pela Natureza", tendo sido o primeiro produto da região a receber esta certificação. 

As Queijadas da Graciosa são um doce produzido na "Reserva da Biosfera da Graciosa", ilha que foi integrada na Rede Mundial de Reservas de Biosfera da UNESCO.

Além das Queijadas, a pastelaria  reabilitou outro doce típico da ilha Graciosa, os Pastéis de Arroz. Estes doces estavam praticamente desaparecidos da doçaria típica da ilha, constituindo neste momento uma nova aposta na promoção da doçaria de qualidade que a empresa tem vindo a desenvolver. Conjuntamente com estes, as Queijadas da Graciosa c/coco, Queijadas da Graciosa c/ Amêndoa e as Amélias da Graciosa são outros doces com características qualitativas passíveis de serem comercializados com êxito.

Paralelamente com a promoção de doces tradicionais, esta Pastelaria está apostada na promoção de outro tipo de doces, vulgarmente designados de "doces secos " Biscoitos. Destes, destacam-se as Capuchas, Lavadores, Freirinhas, Espigas de Milho, Saborosas, Carcavelos, Biscoitos de Manteiga, Sonhos de Limão, Sonhos de Canela, Graciosos de Chocolate e Rosquilhas secas da Graciosa.

Maria de Jesus dos Santos Bettencourt Félix, fundadora da pastelaria Queijadas da Graciosa, foi a graciosense homenageada no âmbito da celebração dos Dia dos Açores.

No Dia dos Açores, que foi celebrado a 10 de Junho de 2019, em São Jorge, foi condecorada, a título póstumo, com a Insígnia Autonómica de Mérito Industrial, Comercial e Agrícola.

Maria de Jesus dos Santos Bettencourt Félix teve a virtude de comercializar e divulgar o doce tradicional mais característico da ilha, as Covilhetes de Leite, com origens remotas e que se vinha descurando, dando-lhe um novo aspeto e rebatizando-o de Queijadas da Graciosa. A empresária transformou este doce numa das imagens de marca da ilha e dos Açores, vendendo-se hoje em dia em diversos locais fora do arquipélago e do país.

A Proposta de Resolução n.º 13/XI, de atribuição de Insígnias Honoríficas Açorianas foi aprovada na tarde de Terça-feira, na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.